Para o topo

História de Ribeirão vai virar série milionária de televisão

Diretor André Ristum vai dirigir “Eldorado”, uma superprodução de R$ 3 milhões com filmagens previstas para 2016
História de Ribeirão vai virar série milionária de televisão
, em 08/08/2014, às 17:38 (atualizado em 11/08/2014, às 16:03)
Salão de Xadrez do antigo Cassino Eldorado: local foi um dos marcos do entretenimento da cidade

Por Francine Micheli
Fotos: Divulgação

Eldorado foi o nome escolhido para batizar a futura série de televisão que será produzida em Ribeirão Preto. O enredo será uma ficção e irá girar em torno da história da própria cidade. Serão 13 capítulos, com um orçamento estimado em R$ 3 milhões.

O contrato com a produtora Gullane (responsável por filmes como Carandiru, Bicho de Sete CabeçasMeu País, entre outros), foi assinado no início de agosto para serem iniciadas as captações de recursos oficiais. Os passos seguintes serão buscar parceiros patrocinadores, inclusive com canais de televisão brasileiros para exibição. Apesar do contrato recente, o idealizador do projeto, Edgard de Castro, presidente da Fundação Feira do Livro, pensa no assunto há mais de 30 anos.


Na foto, Fabiano Gullane (produtor), Viviane Mendonça (co-produtora executiva), Edgard Castro (idealizador do projeto) e Andre Ristum (diretor), na assinatura do contrato

Segundo a produtora executiva da série, Viviane de Mendonça, a ideia é usar cenários, estúdios e locações de Ribeirão Preto com elenco conhecido nacionalmente e até atores internacionais. “Estamos buscando também parcerias com produtoras italianas e francesas. Vamos contar como Ribeirão se desenvolveu com seus ciclos do café, da cana e do etanol”, diz. O roteiro será assinado pelo diretor e roteirista Marco Dutra (Quando eu era vivo, Meu paísTrabalhar cansa).

Viviane ainda não confirma nomes. “Posso dizer que estamos na sondagem e vamos esperar a parceria com as outras produtoras”. 

Homenagem

O nome Eldorado foi pego emprestado do antigo cassino ribeirão-pretano homônimo, um dos marcos do entretenimento da cidade que ficava ao lado de onde hoje funciona a Cantina 605, no Centro. Lá, que também se chamou Cassino Antárctica, eram realizadas festas para a alta sociedade, com artistas, dançarinas e prostitutas vindas de Paris. Por toda a influência francesa, no início do século XX, Ribeirão Preto era conhecida como “petite Paris”.

E um dos responsáveis por essa vida baladeira aqui na cidade, no início do século XX, foi o francês Françoise Cassoulet, que inclusive era dono do Cassino Eldorado (ou Antárctica). Cassoulet foi uma espécie de primeiro promoter da cidade, e a curiosa história o Varal Diverso conta aqui!

Compartilhe:

PRÓXIMO POST »
Diversidade sexual é tema do Festival Mix Brasil
« POST ANTERIOR
Estúdios Kaiser de Cinema são comprados por grupo editorial da Revide

Você poderá gostar também!

 

Casa da Memória Italiana terá visitação e exibição de filme em agosto

03.08.2018 - 10:28

Imóvel conta história da imigração na cidade e realiza atividades gratuitas

Circuito Sesc de Artes leva atrações gratuitas para cidades da região

05.04.2018 - 17:45

De 13 a 22 de abril acontecem shows, espetáculos de dança, circo e diversas intervenções artísticas livres

Casa da Memória Italiana abrirá para visitas semanais em junho

06.06.2017 - 22:29

Público poderá conhecer o espaço às quintas e sábados, sem agendamento

Confira a programação completa da Virada Cultural Paulista em Ribeirão Preto

16.05.2017 - 16:56

Evento acontece nos dias 27 e 28 de maio no Morro do São Bento

10 razões para amar Ribeirão Preto

04.03.2017 - 21:17

O Varal Diverso, seu guia cultural, preparou uma lista cheia de bons motivos!

Chaves e Chapolin Colorado ganham coleção com itens de decoração

20.07.2016 - 17:58

Loja de departamento é a única com o licenciamento da série. Conheça os produtos!

 

VOLTAR

 

Comente aqui:
Instagram
Instagram

Varal Diverso © 2011–2018. Todos os direitos reservados | Termos de uso | Design: Paulo Gallo