Para o topo

Chorinho da USP faz 20 anos com muita história pra contar

Chorinho da USP faz 20 anos com muita história pra contar
, em 23/06/2014, às 12:57 (atualizado em 12/03/2015, às 11:18)

Texto e fotos: Francine Micheli

Domingo de manhã. Cheiro de café. Os primeiros acordes começam a soar no coreto entre o Museu Histórico e o Museu do Café, na USP Ribeirão. Mais um Café com Chorinho está começando e logo os primeiros cavalheiros pedem a mão das suas damas para dançar. Neste ano, faz 20 anos que o evento acontece ali, todo santo domingo.

O grupo “Os Rouxinóis”, que toca desde o início do projeto, tem um repertório animado e quase ninguém gosta de ficar parado. Entre um Pixinguinha e um Zequinha de Abreu, casais rodopiam felizes e só param para tomar um cafezinho com biscoito, cedido pela Prefeitura.

“Recebemos até excursões de ônibus que vêm da região. O domingo aqui é incrível”, diz o diretor do Museu do Café, Daniel Basso, que trabalha lá há seis anos. “No começo, eu achava que era um projeto para a terceira idade, mas vi que gente de todas as idades vêm ao chorinho”.

Fama de casamenteiro

Muita gente chega ao Chorinho com a expectativa de conhecer gente nova e, quem sabe, conquistar um novo amor. Marcelo Coimbra, eletricista de 44 anos, é um desses que vão toda semana, e foi lá que engatou um namoro com Rosirene Sumida, há três anos. Hoje, os dois, que são divorciados, vivem juntos. “Pode até ter lugares melhor pra paquerar, mas como nós adoramos dançar, lá foi a oportunidade perfeita para uma aproximação”, diz, reforçando a fama de “casamenteiro” que o Chorinho ganhou com o passar do tempo.

Sobre os mais de 20 anos do grupo Os Rouxinóis, cuja história se confunde com a história do próprio Chorinho, o clarinetista Roberto Marani diz “gostar do que faz e fazer bem feito, respeitando a música brasileira, que é a mais rica do mundo”.

A pista de dança é sombreada pelas incontáveis árvores que rodeiam o local, fazendo com quem ninguém se lembre do calor que começa a fazer quando vai chegando o meio-dia. Por dia, uma média de 200 pessoas arriscam os primeiros passos de dança ali, ou treinam manobras mais avançadas de dança de salão.

Além de ser uma opção de lazer para ribeirão-pretanos e uma opção turística para quem vem de fora, o Chorinho da USP também já ganhou fama internacional: em 2011, uma equipe de televisão portuguesa esteve no local para fazer uma reportagem.

O projeto cultural Café com Chorinho acontece aos domingos, sempre às 10h, e é gratuito — assim como o café que é servido pela Prefeitura. O campus da USP Ribeirão Preto fica na av. Bandeirantes, 3.900, no bairro Monte Alegre.

Compartilhe:

PRÓXIMO POST »
Estúdios Kaiser de Cinema são comprados por grupo editorial da Revide
« POST ANTERIOR
Linha do tempo relembra cultura em Ribeirão Preto

Você poderá gostar também!

 

Museu TAM em São Carlos tem programação para as férias

17.12.2014 - 22:31

A cerca de 80 km de Ribeirão, está um dos maiores museus da aviação do mundo, cujo acervo conta com 125 aeronaves, em exposição e restauração. Confira fotos e todos os detalhes.

Ribeirão ganhará novo museu dedicado à memória italiana

24.09.2014 - 19:42

Ribeirão Preto ganhará, nos próximos meses, a Casa da Memória Italiana, um casarão de 1941 que fica no Centro e será doado pela família Biagi. O espaço conta com mobiliário tradicional da família de imigrantes italianos

Maestro João Carlos Martins rege, voluntariamente, a Sinfônica de Ribeirão em concerto de gala

03.07.2015 - 12:05

Iniciativa faz parte da campanha S.O.S. Orquestra, que receberá doações de empresas e do público para pagar dívidas.

 

VOLTAR

 

Comente aqui:

Varal Diverso © 2011–2017. Todos os direitos reservados | Termos de uso | Design: Paulo Gallo